TV Globo resgata nostalgia com “No Limite 5”

Leia também

Fabio Maksymczukhttp://www.fabiotv.com.br/
Jornalista, membro do júri de TV na APCA, editor do portal FABIOTV, blogueiro e colunista do Além da Tela, com passagem pelo Portal Imprensa (2009/15) e UOL TV Blogs

Olá, internautas

Siga-nos:
    Whatsapp    Facebook     Twitter / X    

Ano 2000. Virada do milênio. Virada na televisão brasileira. Neste ano, a TV Globo estreava “No Limite”, sob comando de Zeca Camargo, que hipnotizou os brasileiros durante as noites dos domingos, após o “Fantástico”. É considerado o primeiro reality show produzido pela TV brasileira. Na mesma época, na realidade, a Band já engatinhava no filão com “Território Livre” com Sabrina Parlatore, mas não havia confinamento.

- Publicidade -

A primeira temporada é marcante. Já naquela época, havia discussões se Amendoim teria sofrido racismo de outro colega. Pauta que permanece viva, especialmente nas recentes edições do “Big Brother Brasil”. A vitória inesperada da cabeleireira Elaine ecoa na memória afetiva do telespectador. As outras três temporadas não conseguiram atingir o megassucesso da edição original.

Eis que a emissora platinada, diante da pandemia do novo Coronavírus, resolveu resgatar o formato. O confinamento dos participantes, de certo modo, facilita a produção dentro do atual panorama. Os realities ganham impulso.

- Publicidade -

Desta vez, “No Limite 5” conta com a participação de rostos conhecidos do grande público. 16 ex-BBBs disputarão, nas praias do Ceará, o almejado prêmio de meio milhão de reais e a oportunidade de reaparecer na maior emissora do País.

Foram escalados André Martinelli (BBB13), Angélica (BBB15), Arcrebiano (BBB21), Ariadna (BBB11), Carol Peixinho (BBB19), Elana (BBB19), Gleici (BBB18), Gui Napolitano (BBB20), Iris Stefanelli (BBB7), Jéssica (BBB18), Kaysar (BBB18), Lucas Chumbo (BBB20), Mahmoud (BBB18), Marcelo Zulu (BBB4), Paula Amorim (BBB18) e Viegas (BBB18).

Há uma concentração nítida no “BBB18”, melhor temporada dos últimos anos. Nesta estreia, os participantes desta edição, Kaysar, Gleici e Mahmoud, que já tinham afinidade, tentaram criar uma aliança já quebrada com a eliminação do rondoniense. Na realidade, a direção poderia ter espraiado melhor a escalação dos desafiantes. Muitos desejavam rever ex-brothers e ex-sisters de temporadas mais antigas. Porém, a idade deve ter sido um empecilho dentro da proposta do reality.

André Marques assumiu o posto de apresentador. Neste primeiro programa, conquistou bom desempenho no vídeo. É mais um desafio em sua carreira. Não quis chamar mais a atenção que a dinâmica do jogo. E isso é ótimo.

“No Limite 5” ocupa agora a faixa noturna, após a novela das nove, das terças-feiras. Ótimo dia e horário. Neste primeiro programa, o reality já passou o clima de competitividade, intrigas (dá um tempero especial na edição) e um elenco promissor. Começou com boa perspectiva.

Fabio Maksymczuk

- Publicidade -

Olá, internautas

Siga-nos no     Whatsapp    Facebook     X     BlueSKY 

Ano 2000. Virada do milênio. Virada na televisão brasileira. Neste ano, a TV Globo estreava “No Limite”, sob comando de Zeca Camargo, que hipnotizou os brasileiros durante as noites dos domingos, após o “Fantástico”. É considerado o primeiro reality show produzido pela TV brasileira. Na mesma época, na realidade, a Band já engatinhava no filão com “Território Livre” com Sabrina Parlatore, mas não havia confinamento.

A primeira temporada é marcante. Já naquela época, havia discussões se Amendoim teria sofrido racismo de outro colega. Pauta que permanece viva, especialmente nas recentes edições do “Big Brother Brasil”. A vitória inesperada da cabeleireira Elaine ecoa na memória afetiva do telespectador. As outras três temporadas não conseguiram atingir o megassucesso da edição original.

Eis que a emissora platinada, diante da pandemia do novo Coronavírus, resolveu resgatar o formato. O confinamento dos participantes, de certo modo, facilita a produção dentro do atual panorama. Os realities ganham impulso.

- Advertisement -

Desta vez, “No Limite 5” conta com a participação de rostos conhecidos do grande público. 16 ex-BBBs disputarão, nas praias do Ceará, o almejado prêmio de meio milhão de reais e a oportunidade de reaparecer na maior emissora do País.

Foram escalados André Martinelli (BBB13), Angélica (BBB15), Arcrebiano (BBB21), Ariadna (BBB11), Carol Peixinho (BBB19), Elana (BBB19), Gleici (BBB18), Gui Napolitano (BBB20), Iris Stefanelli (BBB7), Jéssica (BBB18), Kaysar (BBB18), Lucas Chumbo (BBB20), Mahmoud (BBB18), Marcelo Zulu (BBB4), Paula Amorim (BBB18) e Viegas (BBB18).

Há uma concentração nítida no “BBB18”, melhor temporada dos últimos anos. Nesta estreia, os participantes desta edição, Kaysar, Gleici e Mahmoud, que já tinham afinidade, tentaram criar uma aliança já quebrada com a eliminação do rondoniense. Na realidade, a direção poderia ter espraiado melhor a escalação dos desafiantes. Muitos desejavam rever ex-brothers e ex-sisters de temporadas mais antigas. Porém, a idade deve ter sido um empecilho dentro da proposta do reality.

André Marques assumiu o posto de apresentador. Neste primeiro programa, conquistou bom desempenho no vídeo. É mais um desafio em sua carreira. Não quis chamar mais a atenção que a dinâmica do jogo. E isso é ótimo.

“No Limite 5” ocupa agora a faixa noturna, após a novela das nove, das terças-feiras. Ótimo dia e horário. Neste primeiro programa, o reality já passou o clima de competitividade, intrigas (dá um tempero especial na edição) e um elenco promissor. Começou com boa perspectiva.

Fabio Maksymczuk

Curte o nosso conteúdo? Siga-nos também no:
Telegram    Mastodon     Linkedin
- Publicidade -
- Publicidade -

Comentários

- Publicidade -

Últimas notícias