TV Globo ousa com “Marighella”

Leia também

Fabio Maksymczuk
Fabio Maksymczukhttp://www.fabiotv.com.br/
Jornalista, membro do júri de TV na APCA, editor do portal FABIOTV, blogueiro e colunista do Além da Tela, com passagem pelo Portal Imprensa (2009/15) e UOL TV Blogs

Na última semana, a TV Globo, dentro da programação de início de ano, exibiu “Marighella”. A emissora desmembrou o filme em quatro episódios. O canal, infelizmente, deixou de lado a produção de minisséries próprias que sempre alcançaram sucesso.

Siga-nos:
    Whatsapp    Facebook     Twitter / X    

O longa dirigido por Wagner Moura foi exibido nos cinemas durante ainda a crise da pandemia. Não tive a oportunidade de assistir. Acompanhei agora em sua versão de minissérie. Mesmo exibida na madrugada, após o “BBB23”, a TV Globo ousou em colocar no ar tal produção que ganha um roteiro com a nítida visão da chamada “esquerda” brasileira.

- Publicidade -

De acordo com a produção, Marighella desejava a derrubada do Regime Militar para o retorno da democracia no Brasil. Já na visão da chamada “direita”, o líder dos “subversivos” desejava implantar um regime inspirado nos ideais de Cuba que fogem do ambiente democrático. Todo esse confronto, na realidade, era ambientado na Guerra Fria entre EUA e União Soviética. A produção não trouxe esse contexto como pano de fundo.

Seu Jorge brilhou em “Marighella”. Atuação forte e marcante. O artista entregou-se visceralmente ao personagem que ainda provoca polêmica. Humberto Carrão que interpretou o guerrilheiro Humberto, da Ação Libertadora Nacional, defensor da luta armada, também é outro destaque positivo.

- Publicidade -

“Marighella” é uma produção que enaltece uma figura execrada pelos defensores da chamada “Revolução de 1964”. São os vários olhares para uma história que ainda não teve suas feridas cicatrizadas.

Fabio Maksymczuk

- Publicidade -

Na última semana, a TV Globo, dentro da programação de início de ano, exibiu “Marighella”. A emissora desmembrou o filme em quatro episódios. O canal, infelizmente, deixou de lado a produção de minisséries próprias que sempre alcançaram sucesso.

Siga-nos no     Whatsapp    Facebook     Twitter / X    

O longa dirigido por Wagner Moura foi exibido nos cinemas durante ainda a crise da pandemia. Não tive a oportunidade de assistir. Acompanhei agora em sua versão de minissérie. Mesmo exibida na madrugada, após o “BBB23”, a TV Globo ousou em colocar no ar tal produção que ganha um roteiro com a nítida visão da chamada “esquerda” brasileira.

De acordo com a produção, Marighella desejava a derrubada do Regime Militar para o retorno da democracia no Brasil. Já na visão da chamada “direita”, o líder dos “subversivos” desejava implantar um regime inspirado nos ideais de Cuba que fogem do ambiente democrático. Todo esse confronto, na realidade, era ambientado na Guerra Fria entre EUA e União Soviética. A produção não trouxe esse contexto como pano de fundo.

- Advertisement -

Seu Jorge brilhou em “Marighella”. Atuação forte e marcante. O artista entregou-se visceralmente ao personagem que ainda provoca polêmica. Humberto Carrão que interpretou o guerrilheiro Humberto, da Ação Libertadora Nacional, defensor da luta armada, também é outro destaque positivo.

“Marighella” é uma produção que enaltece uma figura execrada pelos defensores da chamada “Revolução de 1964”. São os vários olhares para uma história que ainda não teve suas feridas cicatrizadas.

Fabio Maksymczuk

Curte o nosso conteúdo? Siga-nos também no:
Telegram    Mastodon     Linkedin
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Últimas notícias