Globo erra em sucessões

Leia também

Fabio Maksymczuk
Fabio Maksymczukhttp://www.fabiotv.com.br/
Jornalista, membro do júri de TV na APCA, editor do portal FABIOTV, blogueiro e colunista do Além da Tela, com passagem pelo Portal Imprensa (2009/15) e UOL TV Blogs

Olá, internautas

Siga-nos:
    Whatsapp    Facebook     Twitter / X    

O Grupo Globo vive um momento de renovação em sua programação. O conglomerado aposta em remexidas que quebram o hábito do telespectador. Algumas sucessões não conquistam bom desempenho e desagradam parcela importante do público.

- Publicidade -

A emissora surpreendeu com a saída de Carlos Tramontina que há muitos anos apresentava, com brilhantismo, segurança e credibilidade, o “SP2”. O canal platinado apostou em José Roberto Burnier que, também há muitos anos, trabalhou como repórter do então SPTV. Nos últimos tempos, era apresentador da GloboNews e foi realocado para o telejornal paulista.

Nesse período, Burnier comprova que é melhor repórter a apresentador. A postura do jornalista à frente do “SP2” fortalece o saudosismo do público com Tramontina. Escolha equivocada.

- Publicidade -

Já na programação matinal, Louro José deixou saudades. Figura insubstituível de Tom Veiga que há décadas formava uma ótima dupla com Ana Maria Braga. Eis que a TV Globo resolve, de supetão, apostar em novo mascote para o matinal. Sem a menor necessidade.

E para piorar a situação, a mesmíssima figura de um papagaio que remete ao saudoso Louro José. Agora, é o Louro Mané, filho de José, que não se encaixou ao lado da apresentadora. Erro grosseiro. Outra sucessão equivocada.

Na GloboNews, o mesmo acontece. O jornalista Erick Bang, que brilhava há anos à frente da Edição da Meia-Noite, foi substituído por Narayanna Borges que também não está à altura do antecessor. Estilo completamente diferente.

E não para por aí. Até nas ondas do rádio a sucessão cria ruídos. No CBN São Paulo, a ótima Fabiola Cidral deveria ter sido substituída por Petria Chaves. Porém, apostaram em Debora Freitas que apresenta um estilo sisudo em comparação à antecessora. Fernando Andrade divide agora a apresentação do radiojornal. Poderia ter sido efetivado como único titular.

E sem falar que parte dos telespectadores ainda estranha Luciano Huck à frente do “Domingão”. Comparações entre Fausto Silva e o paulistano no comando do Dança dos Famosos ganharam espaço.

As sucessões deveriam ter sido melhores estudadas.

Fabio Maksymczuk

 

- Publicidade -

Olá, internautas

Siga-nos no     Whatsapp    Facebook     Twitter / X    

O Grupo Globo vive um momento de renovação em sua programação. O conglomerado aposta em remexidas que quebram o hábito do telespectador. Algumas sucessões não conquistam bom desempenho e desagradam parcela importante do público.

A emissora surpreendeu com a saída de Carlos Tramontina que há muitos anos apresentava, com brilhantismo, segurança e credibilidade, o “SP2”. O canal platinado apostou em José Roberto Burnier que, também há muitos anos, trabalhou como repórter do então SPTV. Nos últimos tempos, era apresentador da GloboNews e foi realocado para o telejornal paulista.

- Advertisement -

Nesse período, Burnier comprova que é melhor repórter a apresentador. A postura do jornalista à frente do “SP2” fortalece o saudosismo do público com Tramontina. Escolha equivocada.

Já na programação matinal, Louro José deixou saudades. Figura insubstituível de Tom Veiga que há décadas formava uma ótima dupla com Ana Maria Braga. Eis que a TV Globo resolve, de supetão, apostar em novo mascote para o matinal. Sem a menor necessidade.

E para piorar a situação, a mesmíssima figura de um papagaio que remete ao saudoso Louro José. Agora, é o Louro Mané, filho de José, que não se encaixou ao lado da apresentadora. Erro grosseiro. Outra sucessão equivocada.

Na GloboNews, o mesmo acontece. O jornalista Erick Bang, que brilhava há anos à frente da Edição da Meia-Noite, foi substituído por Narayanna Borges que também não está à altura do antecessor. Estilo completamente diferente.

E não para por aí. Até nas ondas do rádio a sucessão cria ruídos. No CBN São Paulo, a ótima Fabiola Cidral deveria ter sido substituída por Petria Chaves. Porém, apostaram em Debora Freitas que apresenta um estilo sisudo em comparação à antecessora. Fernando Andrade divide agora a apresentação do radiojornal. Poderia ter sido efetivado como único titular.

E sem falar que parte dos telespectadores ainda estranha Luciano Huck à frente do “Domingão”. Comparações entre Fausto Silva e o paulistano no comando do Dança dos Famosos ganharam espaço.

As sucessões deveriam ter sido melhores estudadas.

Fabio Maksymczuk

 

Curte o nosso conteúdo? Siga-nos também no:
Telegram    Mastodon     Linkedin
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais notícias

- Publicidade -

Últimas notícias