More

    Confira os piores da TV brasileira em 2022

    Leia também

    Fabio Maksymczukhttp://www.fabiotv.com.br/
    Jornalista, membro do júri de TV na APCA, editor do portal FABIOTV, blogueiro e colunista do Além da Tela, com passagem pelo Portal Imprensa (2009/15) e UOL TV Blogs

    Em 2022, o mundo começou a sair da crise provocada pela pandemia do novo Coronavírus. As produções televisivas voltaram com maior vigor. A indústria cultural começou a retomar a efervescência. Apesar disso, o ano não ficou marcado por grandes novidades na programação das emissoras na TV brasileira. A seguir, os destaques negativos.

    PIOR NOVELA – Travessia

    - Publicidade -

    A novela das nove da TV Globo, assinada por Gloria Perez com direção artística de Mauro Mendonça Filho, traz um enredo confuso que não envolve o telespectador. O triângulo amoroso formado por Brisa (Lucy Alves), Ari (Chay Suede) e Oto (Romulo Estrela) é um dos principais entraves para o sucesso da trama.

    PIOR SÉRIE – Todas as Garotas em Mim

    - Publicidade -

    A série exibida na Record TV derrubou os índices de audiêncial. A produção tentou dialogar com o público jovem. Sem êxito. O sotaque gaúcho imposto ao elenco, já que a história era ambientada na Região Sul do País, fortaleceu a artificialidade dos diálogos entre os personagens. O roteiro que abordou o universo dos influenciadores digitais não abraçou o público tradicional da emissora. Por isso mesmo, ocorreu uma debandada de telespectadores. Além disso, as tramas narradas da Bíblia reforçaram o desgaste do filão na teledramaturgia do canal.

    PIOR PROGRAMA DE AUDITÓRIO – Pipoca da Ivete

    “Pipoca da Ivete” passou a imagem de ser do SBT, só que com a estrutura e elenco da TV Globo. Programa que fez questão de seguir uma cartilha com ensinamentos amplamente desgastados na TV brasileira. O carisma de Ivete Sangalo não se transformou em um diferencial no dominical platinado.

    PIOR REALITY SHOW – Ilha Record

    “Ilha Record 2” terminou como grande fracasso do ano na programação da Record TV. O elenco recheado de “exploradores” desconhecidos do público da TV aberta foi o maior motivo para o afastamento do telespectador. Para piorar, as peças não engrenaram no jogo, o que dificultou a construção de um enredo que envolvesse o público.

    DESTAQUE NEGATIVO EM APRESENTAÇÃO – Adriane Galisteu

    Adriane Galisteu não domou a condução de “A Fazenda 14”. Durante a saída de Thomaz Costa, a apresentadora “passou pano” para Deolane e comentou ao jovem rapaz que aquilo foi um “jogo psicológico”. Na grande final, Galisteu tinha que ter lido um texto que enaltecesse a atriz Bárbara Borges. Faltou emoção no anúncio da vencedora. Enquanto isso, ela também “passou pano” para Bia Miranda com seus milhões de seguidores. Pegou mal. A falta de controle na apresentação também apareceu na tumultuada sexta edição do “Power Couple Brasil”.

    PIOR PROGRAMA DE VARIEDADES – Bom Dia Você

    O matinal da RedeTV! ficou no ar durante alguns meses. Saiu do ar sem deixar algum rastro na memória do telespectador. A tentativa de transformar Eri Johnson em apresentador não funcionou. Não conseguiu um bom entrosamento com a apresentadora Aline Prado. A revista eletrônica matinal apostou em pautas que não despertaram interesse no público. Era o mais do mesmo.

    Fabio Maksymczuk

    - Publicidade -

    Em 2022, o mundo começou a sair da crise provocada pela pandemia do novo Coronavírus. As produções televisivas voltaram com maior vigor. A indústria cultural começou a retomar a efervescência. Apesar disso, o ano não ficou marcado por grandes novidades na programação das emissoras na TV brasileira. A seguir, os destaques negativos.

    PIOR NOVELA – Travessia

    A novela das nove da TV Globo, assinada por Gloria Perez com direção artística de Mauro Mendonça Filho, traz um enredo confuso que não envolve o telespectador. O triângulo amoroso formado por Brisa (Lucy Alves), Ari (Chay Suede) e Oto (Romulo Estrela) é um dos principais entraves para o sucesso da trama.

    PIOR SÉRIE – Todas as Garotas em Mim

    - Advertisement -

    A série exibida na Record TV derrubou os índices de audiêncial. A produção tentou dialogar com o público jovem. Sem êxito. O sotaque gaúcho imposto ao elenco, já que a história era ambientada na Região Sul do País, fortaleceu a artificialidade dos diálogos entre os personagens. O roteiro que abordou o universo dos influenciadores digitais não abraçou o público tradicional da emissora. Por isso mesmo, ocorreu uma debandada de telespectadores. Além disso, as tramas narradas da Bíblia reforçaram o desgaste do filão na teledramaturgia do canal.

    PIOR PROGRAMA DE AUDITÓRIO – Pipoca da Ivete

    “Pipoca da Ivete” passou a imagem de ser do SBT, só que com a estrutura e elenco da TV Globo. Programa que fez questão de seguir uma cartilha com ensinamentos amplamente desgastados na TV brasileira. O carisma de Ivete Sangalo não se transformou em um diferencial no dominical platinado.

    PIOR REALITY SHOW – Ilha Record

    “Ilha Record 2” terminou como grande fracasso do ano na programação da Record TV. O elenco recheado de “exploradores” desconhecidos do público da TV aberta foi o maior motivo para o afastamento do telespectador. Para piorar, as peças não engrenaram no jogo, o que dificultou a construção de um enredo que envolvesse o público.

    DESTAQUE NEGATIVO EM APRESENTAÇÃO – Adriane Galisteu

    Adriane Galisteu não domou a condução de “A Fazenda 14”. Durante a saída de Thomaz Costa, a apresentadora “passou pano” para Deolane e comentou ao jovem rapaz que aquilo foi um “jogo psicológico”. Na grande final, Galisteu tinha que ter lido um texto que enaltecesse a atriz Bárbara Borges. Faltou emoção no anúncio da vencedora. Enquanto isso, ela também “passou pano” para Bia Miranda com seus milhões de seguidores. Pegou mal. A falta de controle na apresentação também apareceu na tumultuada sexta edição do “Power Couple Brasil”.

    PIOR PROGRAMA DE VARIEDADES – Bom Dia Você

    O matinal da RedeTV! ficou no ar durante alguns meses. Saiu do ar sem deixar algum rastro na memória do telespectador. A tentativa de transformar Eri Johnson em apresentador não funcionou. Não conseguiu um bom entrosamento com a apresentadora Aline Prado. A revista eletrônica matinal apostou em pautas que não despertaram interesse no público. Era o mais do mesmo.

    Fabio Maksymczuk

    Curte o nosso conteúdo? Siga-nos também no:
    Telegram  Facebook   X   BlueSKY  Mastodon     Linkedin
    - Publicidade -
    - Publicidade -

    Comentários

    1 COMENTÁRIO

    Assinar
    Notificação de
    1 Comentário
    Inline Feedbacks
    Ver todos os comentários
    - Publicidade -

    Recentes