Confira os melhores da TV brasileira em 2023

Leia também

Fabio Maksymczuk
Fabio Maksymczukhttp://www.fabiotv.com.br/
Jornalista, membro do júri de TV na APCA, editor do portal FABIOTV, blogueiro e colunista do Além da Tela, com passagem pelo Portal Imprensa (2009/15) e UOL TV Blogs

Olá, internautas

Siga-nos:
    Whatsapp    Facebook     Twitter / X    

Em 2023, na área da teledramaturgia, os destaques apareceram significativamente nas plataformas de streaming. Este espaço é dedicado, prioritariamente, ao universo da TV aberta. Diante de tal observação, faremos uma lista condizente à nossa missão. Mesmo assim, a TV brasileira ofereceu bons momentos ao telespectador que serão valorizados.

- Publicidade -

MELHOR PROGRAMA DA TV BRASILEIRA: Altas Horas

“Altas Horas” permaneceu em ótima fase na TV Globo. Neste ano, em especial, Serginho Groisman comandou uma série de edições temáticas, que celebraram um artista, banda ou uma data comemorativa. Envolveu o telespectador com produções que tocaram a memória afetiva do público.

- Publicidade -

MELHOR NOVELA: Vai na Fé

“Vai na Fé” terminou com a missão cumprida. A novela criada e escrita por Rosane Svartman, com Mário Viana, Pedro Alvarenga, Renata Corrêa, Renata Sofia e Sabrina Rosa, produção de Mariana Pinheiro e direção artística de Paulo Silvestrini elevou os índices de audiência da faixa horária. O grande mérito recaiu no texto e roteiro construídos pela autora Rosane Svartman e colaboradores. “Vai na Fé” também acertou na inclusão da diversidade contextualizada com a obra. Não passou ar de politicamente correto e sem discursos militantes.

MELHOR REALITY SHOW: No Limite – Amazônia

O reality show exibido na TV Globo cresceu, nitidamente, sem a direção de Boninho. O ótimo trabalho desenvolvido pelo novo diretor Rodrigo Giannetto marcou a sétima temporada da atração. A excelente edição fortaleceu a boa impressão. Ótima trilha sonora aliada à exuberante fotografia. Uma produção bem cuidada e caprichada. Demonstrou vigor. Reflexo direto da maior atuação da Endemol Shine Brasil. “No Limite – Amazônia” ganhou uma personalidade própria. Sem vestígios do “Big Brother Brasil”. As provas envolveram o público. Os conflitos entre os participantes ficaram contextualizados com o desenvolvimento da competição. Tudo bem amarrado na edição.

MELHOR APRESENTADOR: Celso Portiolli

Celso Portiolli vive o melhor momento de sua carreira de 30 anos no SBT. O apresentador do “Domingo Legal” envolve o telespectador com o seu carisma natural. Conquistou a sua própria personalidade. Por isso mesmo, o dominical foi uma das poucas atrações da emissora de Silvio Santos que atingiu a liderança em 2023.

MELHOR APRESENTADORA: Ana Maria Braga

Ana Maria Braga é uma das poucas comunicadoras populares, de fato, que resiste na programação da TV brasileira cada vez mais engessada com formatos importados. A apresentadora é a verdadeira dona das “Super Manhãs da TV Globo”.

MELHOR ATOR: Amaury Lorenzo

Amaury Lorenzo é o maior destaque da novela “Terra e Paixão”. O ator, que já vinha de outros trabalhos como coadjuvante, brilhou com o então “capanga” Ramiro. Conduziu, com sensibilidade, a descoberta do amor de seu personagem por Kelvin (Diego Martins). Aproveitou a oportunidade e demonstrou o seu talento em um ano marcado por raros destaques entre os atores nas telenovelas.

MELHOR ATRIZ: Mariana Ximenes

A vilã Gilda sustentou a novela “Amor Perfeito” do início ao fim. Mariana Ximenes brilhou ao interpretar a personagem malévola. Ao mesmo tempo que era intensamente má, os autores Duca Rachid e Júlio Fischer construíram um lado humano e justificaram a conduta de Gilda. A cena do encontro com Marcelino no penúltimo capítulo resumiu tal percepção.

MELHOR ATOR MIRIM: Levi Asaf

Excelente desempenho do ator mirim. Ele, de fato, foi o protagonista de “Amor Perfeito”. Trabalho primoroso e encantador. Atuou como se fosse já um veterano. As cenas com seu “amigo Jesus” foram tocantes. Entregou-se visceralmente nesses momentos com ternura e doçura.

REVELAÇÃO: Clara Moneke

A maior revelação das telenovelas de 2023. A atriz aproveitou a oportunidade em “Vai na Fé”.  Kate tornou-se uma das personagens mais queridas. Irradiou carisma e talento.

MELHOR PROGRAMA DE AUDITÓRIO: Domingão com Huck

Neste ano, Luciano Huck firmou-se como comandante do dominical da TV Globo. A vitória da pernambucana Jullie Dutra no “Quem Quer Ser um Milionário” reforçou a boa impressão da atração junto ao telespectador. Pequenos Gênios, Batalha do Lip Sync, The Wall, Dança dos Famosos e Fazer o Bem Não Importa a Quem fluíram com dinamismo. É um programa de auditório com a linguagem contemporânea.

MELHOR PROGRAMA DE ENTREVISTAS: Roda Viva

“Roda Viva” viveu um ótimo ano. A tradicional atração da TV Cultura entrevistou diversas personalidades dos mais variados campos. De Angélica ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira. De Carlos Alberto de Nóbrega ao ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes. Sempre com declarações que repercutiam na imprensa e na sociedade.

- Publicidade -

Olá, internautas

Siga-nos no     Whatsapp    Facebook     Twitter / X    

Em 2023, na área da teledramaturgia, os destaques apareceram significativamente nas plataformas de streaming. Este espaço é dedicado, prioritariamente, ao universo da TV aberta. Diante de tal observação, faremos uma lista condizente à nossa missão. Mesmo assim, a TV brasileira ofereceu bons momentos ao telespectador que serão valorizados.

MELHOR PROGRAMA DA TV BRASILEIRA: Altas Horas

- Advertisement -

“Altas Horas” permaneceu em ótima fase na TV Globo. Neste ano, em especial, Serginho Groisman comandou uma série de edições temáticas, que celebraram um artista, banda ou uma data comemorativa. Envolveu o telespectador com produções que tocaram a memória afetiva do público.

MELHOR NOVELA: Vai na Fé

“Vai na Fé” terminou com a missão cumprida. A novela criada e escrita por Rosane Svartman, com Mário Viana, Pedro Alvarenga, Renata Corrêa, Renata Sofia e Sabrina Rosa, produção de Mariana Pinheiro e direção artística de Paulo Silvestrini elevou os índices de audiência da faixa horária. O grande mérito recaiu no texto e roteiro construídos pela autora Rosane Svartman e colaboradores. “Vai na Fé” também acertou na inclusão da diversidade contextualizada com a obra. Não passou ar de politicamente correto e sem discursos militantes.

MELHOR REALITY SHOW: No Limite – Amazônia

O reality show exibido na TV Globo cresceu, nitidamente, sem a direção de Boninho. O ótimo trabalho desenvolvido pelo novo diretor Rodrigo Giannetto marcou a sétima temporada da atração. A excelente edição fortaleceu a boa impressão. Ótima trilha sonora aliada à exuberante fotografia. Uma produção bem cuidada e caprichada. Demonstrou vigor. Reflexo direto da maior atuação da Endemol Shine Brasil. “No Limite – Amazônia” ganhou uma personalidade própria. Sem vestígios do “Big Brother Brasil”. As provas envolveram o público. Os conflitos entre os participantes ficaram contextualizados com o desenvolvimento da competição. Tudo bem amarrado na edição.

MELHOR APRESENTADOR: Celso Portiolli

Celso Portiolli vive o melhor momento de sua carreira de 30 anos no SBT. O apresentador do “Domingo Legal” envolve o telespectador com o seu carisma natural. Conquistou a sua própria personalidade. Por isso mesmo, o dominical foi uma das poucas atrações da emissora de Silvio Santos que atingiu a liderança em 2023.

MELHOR APRESENTADORA: Ana Maria Braga

Ana Maria Braga é uma das poucas comunicadoras populares, de fato, que resiste na programação da TV brasileira cada vez mais engessada com formatos importados. A apresentadora é a verdadeira dona das “Super Manhãs da TV Globo”.

MELHOR ATOR: Amaury Lorenzo

Amaury Lorenzo é o maior destaque da novela “Terra e Paixão”. O ator, que já vinha de outros trabalhos como coadjuvante, brilhou com o então “capanga” Ramiro. Conduziu, com sensibilidade, a descoberta do amor de seu personagem por Kelvin (Diego Martins). Aproveitou a oportunidade e demonstrou o seu talento em um ano marcado por raros destaques entre os atores nas telenovelas.

MELHOR ATRIZ: Mariana Ximenes

A vilã Gilda sustentou a novela “Amor Perfeito” do início ao fim. Mariana Ximenes brilhou ao interpretar a personagem malévola. Ao mesmo tempo que era intensamente má, os autores Duca Rachid e Júlio Fischer construíram um lado humano e justificaram a conduta de Gilda. A cena do encontro com Marcelino no penúltimo capítulo resumiu tal percepção.

MELHOR ATOR MIRIM: Levi Asaf

Excelente desempenho do ator mirim. Ele, de fato, foi o protagonista de “Amor Perfeito”. Trabalho primoroso e encantador. Atuou como se fosse já um veterano. As cenas com seu “amigo Jesus” foram tocantes. Entregou-se visceralmente nesses momentos com ternura e doçura.

REVELAÇÃO: Clara Moneke

A maior revelação das telenovelas de 2023. A atriz aproveitou a oportunidade em “Vai na Fé”.  Kate tornou-se uma das personagens mais queridas. Irradiou carisma e talento.

MELHOR PROGRAMA DE AUDITÓRIO: Domingão com Huck

Neste ano, Luciano Huck firmou-se como comandante do dominical da TV Globo. A vitória da pernambucana Jullie Dutra no “Quem Quer Ser um Milionário” reforçou a boa impressão da atração junto ao telespectador. Pequenos Gênios, Batalha do Lip Sync, The Wall, Dança dos Famosos e Fazer o Bem Não Importa a Quem fluíram com dinamismo. É um programa de auditório com a linguagem contemporânea.

MELHOR PROGRAMA DE ENTREVISTAS: Roda Viva

“Roda Viva” viveu um ótimo ano. A tradicional atração da TV Cultura entrevistou diversas personalidades dos mais variados campos. De Angélica ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira. De Carlos Alberto de Nóbrega ao ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes. Sempre com declarações que repercutiam na imprensa e na sociedade.

Curte o nosso conteúdo? Siga-nos também no:
Telegram    Mastodon     Linkedin
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Últimas notícias